Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

domingo, 14 de novembro de 2010

A instalação do sistema de defesa de míssil na Turquia ameaça a Rússia e o Irã?

 Qualquer perito militar e político na Rússia chega à conclusão que, construindo tal sistema, os Estados Unidos procuram compensar o potencial dos mísseis da Rússia instalando bases de defesa de míssil ao longo do extenso território russo. 

 Washington está aspirando construir um escudo de defesa de míssil global, cujos elementos já estão sendo construídos no Extremo Oriente, no Oceano Índico e nos mares do norte. 

 A decisão turca de permitir aos Estados Unidos e a OTAN a instalação de elementos do sistema de defesa de míssil europeu no seu território provocou uma resposta negativa na região próxima e no resto do mundo.

 A resposta negativa do Irã e de Israel é fácil de explicar. A Turquia, rival regional do Irã em muitas áreas, é também um aliado dos Estados Unidos e o objetivo principal de Washington, segundo dizem, deve ser utilizar o futuro sistema de defesa de míssil para proteger a Europa e América contra uma ameaça nuclear do Irã. Quanto a Israel, esse é considerado como um dos "inimigos" da Turquia.

 Se a Turquia aceita os planos de defesa de míssil dos Estados Unidos e da OTAN, poucos abrigarão dúvidas sobre Washington, que constrói um sistema de defesa de míssil de amplo e longo alcance. A Polônia, a República Checa, a Bulgária e a Romênia já demonstram prontidão para fazer parte dele. Sem dúvida alguma, um "guarda-chuva antimíssil poderoso” desta espécie é injustificável se tiver apenas como finalidade repelir a ameaça imaginária do Irã. Até onde se sabe, o Irã não é possuidor de nenhum míssil balístico ainda.

 A cúpula da OTAN deve aprovar uma nova estratégia para um sistema de defesa de míssil na Europa, e a cúpula Rússia-OTAN deve concentrar-se na possibilidade da participação de Moscou no projeto de defesa de míssil em uma base de paridade. Os representantes da OTAN aconselham que seja dada as boas-vindas à participação da Rússia. Contudo, receiam que o assim chamado “fator turco” seja usado para pressionar Moscou na questão de defesa de míssil, demonstrando que os Estados Unidos e a OTAN perseguirão os planos de qualquer maneira, com ou sem a Rússia. Confiamos que esses medos resultem sem motivo.

by Victor Yenikeev


Fonte: http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=21836

Caças F-35 são oferecidos a Israel em troca de fim da construção de assentamentos na Cisjordania.

O F-35B inicia aterrissagem vertical.
Foto:www.air-attack.com
 Os Estados Unidos ofereceram a Israel 20 caças de US$ 3 bilhões e o apoio da ONU em troca da paralização por parte de Israel das atividades de construção de assentamentos por 90 dias, informou no domingo o Jerusalem Post.

 Os termos da proposta, destinada a reavivar as conversações de paz com a Palestina, exigem o congelamento por 90 dias de todas as atividades em torno da construção dos novos assentamentos na Cisjordânia ocupada, iniciada após 26 de setembro.

 O acordo não se aplica a Jerusalém Oriental. Washington se comprometeu a não lutar pela prorrogação da moratória, segundo fontes diplomáticas.

 Em troca, Washington ofereceu a Israel um pacote de incentivos, incluindo 20 jatos F-35 Stealth Fighter em um negócio de US$ 3 bilhões. Caso Israel aceite a proposta, o Congresso terá de aprovar a entrega dos jatos.

 O Primeiro-ministro israelense Benjamin Netanyahu se reuniu com a secretária de estado americana Hilary Clinton na semana passada. No sábado Netanyahu transmitiu a proposta ao seu gabinete, um fórum de sete ministros, e eles estão atualmente ponderando a proposta, segundo o jornal.

 Conversações diretas entre Netanyahu e o presidente palestino, Mahmoud Abbas, prosseguiram no dia 2 de Setembro em Washington, depois de um hiato de quase dois anos mas estão a ponto de se decompor sobre a questão da construção israelense na Cisjordânia.

 Muitos organismos internacionais, incluindo o Quarteto de negociadores para o Oriente Médio  (Rússia, Estados Unidos, Nações Unidas e União Européia), tem apelado repetidamente a Israel para estender a moratória.¹

 Tel Aviv, disse antes que a compra dos caças F-35 efetivamente eliminaria a ameaça dos sistemas de defesa antiaérea S-300 de fabricação russa, com base em uma série de simulações de computador que demonstraram claramente que os caças stealth americanos superam os novos mísseis russos.

 O F-35 Joint Strike Fighter (JSF), fabricado pela Lockheed Martin, de assento único, possui monomotores de caça multi stealth, pode realizar apoio aéreo aproximado, ataque tático e missões de defesa aérea.²

Fontes: [1] http://en.rian.ru/mlitary_news/20100917/160619264.html
            [2] http://en.rian.ru/world/20101114/161331923.html

mais informações : http://www.jsf.mil/f35/f35_variants.htm

fotos: http://ueba.com.br/hosted_pages/F-35-Joint-Strike-Fighter

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology