Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Dilma Roussef: o desarmamento nuclear é fundamental para a segurança mundial.


 A presidente Dilma Rousseff participou nesta quinta-feira, no plenário da Organização das Nações Unidas (ONU), da reunião de alto nível sobre segurança nuclear, onde pediu a eliminação completa das armas nucleares.

 Dilma disse que o desarmamento nuclear é fundamental para a segurança mundial. "Todo o estoque de material nuclear voltado para uso militar escapa dos mecanismos multilaterais de controle, mas o desarmamento nuclear é fundamental para a segurança", afirmou.

 "É imperativo ter no horizonte previsível a eliminação completa e irreversível das armas nucleares. A ONU deve se preocupar com isso", enfatizou.

 "Sabemos que, para muitas nações, a energia nuclear continuará a ser alternativa para atender as necessidades energéticas, mas o compromisso do Brasil no uso pacífico é irreversível e está expresso em nossa Constituição Federal", acrescentou.

 Dilma afirmou ainda que, após o acidente em Fukushima, determinou investigações para identificar fatores de risco em relação às usinas nucleares. "O Brasil compartilha a preocupação internacional com segurança nuclear e se associa a suas iniciativas".


Rússia prepara-se para os piores cenários possíveis no desfecho do mundo.


Alerta máximo depois do tumulto no Oriente Médio. Jogos de Guerra até o final de setembro.

 O chefe maior do pessoal militar da Rússia afirmou que militares do país devem estar prontos para os piores cenários possíveis, observando que a situação política no mundo está se revelando complicada e inesperada.

 Falando em uma conferência de imprensa em Moscow, o general Nikolay Makarov do exército disse que as organizações militares da Rússia devem estar prontas para os piores desdobramentos possíveis. A situação no mundo está complicada e mudando constantemente, especialmente no Norte da África e no Oriente Médio. O que aconteceu nestas regiões era difícil de prever e os eventos desenvolvidos em uma velocidade tremenda, disse o general. Ninguém pode dizer agora o que acontecerá nesses lugares. Entretanto, é um sinal para todos os Estados. Nós, as forças armadas, devemos estar prontos para os piores cenários. ”

 O oficial superior dos militares da Rússia igualmente disse que os países da Organização do Tratado da Segurança Colectiva (CSTO) desenvolveriam logo uma aproximação comum ao uso de forças militares nacionais.

 “"Queremos desenvolver uma abordagem única no âmbito da CSTO para o uso da força militar", disse” o general russo ao falar sobre o exercício militar Center-2011 comum às forças militares de Rússia, Cazaquistão, Quirguistão e Tadjiquistão.

 "Além dos militares, todas as estruturas de poder dos outros países da CSTO que estão incluídos na estrutura militar estatal irão participar nestes exercícios. Na medida em que a Rússia está em causa, queremos verificar a organização militar do país como um todo, o lançamento de um complexo movimento de mobilização, incluindo a indústria", disse Makarov. "Hoje começamos um plano separado para implantar uma série de mobilizações das unidades militares", disse o general.

 O exercício militar aqui mencionado vai começar no final de setembro com a participação de mais de 12.000 militares, 70 aeronaves, 1.000 veículos de combate e a Flotilha do Cáspio em pleno vigor.

Fonte: http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=26512

Leia também:

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology