Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

sábado, 28 de maio de 2011

E.U.A. e Romênia apontam mísseis contra a Rússia.



 Os elementos do sistema de defesa antimíssil dos Estados Unidos vão aparecer na base militar soviética na cidade romena de Deveselu a uns 500 km a partir da base da Frota russa do Mar Negro. Isto foi afirmado pelo presidente Traian Basescu, que sublinhou que os dois países já concordaram em tudo.

 "Nós escolhemos e acordamos a antiga base aérea Deveselu como o local para a implantação de um sistema de defesa antimísseis", declarou Basescu em um programa de televisão romena. Segundo ele, cerca de 200 soldados norte-americanos que estariam lá, mas se necessário o seu número vai aumentar para 500. Eles serão apoiados pelo complexo de radar "Aegis", o centro de controle operacional e baterias de defesa anti-mísseis e baterias móveis de mísseis interceptadores "Standard-3".

 Qual é o país que está localizado não muito longe desta instalação militar? A distância entre essa base e a costa do Mar Negro é de aproximadamente 800 quilômetros, mas a base da frota russa em Sebastopol está mais próxima - cerca de 500 km. Prevendo o descontentamento da Rússia, Basescu repetiu o que tem sido uma frase de papagaio nos últimos anos, quase uma mágica. " O Tratado ABM não é dirigido contra a Rússia".

 Estritamente falando, a decisão de implantar os elementos do sistema de defesa antimíssil dos Estados Unidos na Romênia não foi uma surpresa. Ainda no ano passado, o presidente Basescu, disse que em seu país, haverá três baterias de um novo sistema de defesa antimísseis, com 24 lançadores. Ele também observou que as autoridades romenas estavam prontas para implantar o "terreno para mísseis interceptores de médio alcance que entrarão em estado de alerta em 2015".

 Os elementos de defesa antimísseis na Romênia vão ser uma parte dos novos elementos de defesa anti-míssil americano que devem ser colocados na proximidade das fronteiras russas. Os Estados Unidos já firmaram acordos com a Polônia em implantar complexos anti-mísseis "Patriot" em território polaco. Eles serão colocados em condições de combate na cidade de Morong, a menos de cem quilômetros a partir da base principal da Frota do Báltico na região de Kaliningrado. Além disso, alguns elementos da defesa antimísseis podem aparecer na Bulgária.

 Naquela época, a Rússia manifestou sua insatisfação com o comportamento dos Estados Unidos. O embaixador americano em Moscou, John Byerly, respondeu que o míssil interceptor SM-3 seria necessário na Romênia para a defesa contra os mísseis de médio alcance, e a Rússia não está ameaçada. Americanos, romenos, búlgaros e poloneses responderam com o mesmo espírito. Enquanto isso, a AMD está progredindo.

 Em abril, o secretário adjunto dos E.U.A. Philip Gordon disse que o sistema de defesa antimísseis na Europa Oriental será implantado em quatro fases. Em primeiro lugar, até o final deste ano o sistema de defesa antimísseis existente - tais como armas de controle do sistema Aegis baseadas no mar - será implantado no Mar Negro e Mar Báltico. Até 2015, a Romênia será anfitriã de uma versão mais potente do míssil interceptor SM-3 (marítmos e terrestres) e a nova versão RLM para proteger uma determinada área dos mísseis de alcance curto e médio.

 Finalmente, em 2020, mísseis SM-3 devem ser melhorados para que possam lidar eficazmente com ameaças de mísseis de médio e longo prazo e de mísseis balísticos intercontinentais. A Rússia é o único país que possui tais armas na região. Isso faz com que as declarações dos norte-americanos e romenos não convençam.

 Não é de estranhar que a reação da Rússia à declaração do presidente da Romênia seja dura. O Ministério russo dos Negócios Estrangeiros referiu que os Estados Unidos está a criar um sistema de defesa antimísseis na Europa, independentemente do diálogo russo-americano sobre as questões de mísseis lançadas pelo presidente Dmitry Medvedev e Barack Obama e do trabalho sobre o projeto de um possível EuroPro.

 "O sistema de defesa antimísseis que os americanos estão colocando na Romênia é destinado a destruir objetivos balísticos e táticos", explicou Konstantin Sivkov, especialista militar e vice-presidente sênior da Academia de Problemas Geopolíticos, sobre os planos americanos para o Pravda.ru romeno. "Se você olhar o mapa da região, a base dos romenos pode ser usada para um único objetivo: manter a região sul da Rússia, a ponto de bala e permitir atingir os nossos mísseis de cruzeiro.

 Os elementos de defesa antimísseis na Romênia são uma parte do plano dos Estados Unidos para cercar a Rússia com bases militares. Não existem outras ameaças em potencial para os Estados Unidos na região. A Turquia é membra da OTAN, a Ucrânia está a cooperar ativamente com a Organização do Atlântico Norte. Existem potenciais "hot spots" - a Ossétia do sul, a Abkházia e a Criméia. Os americanos estão a armar a Geórgia e reunir forças para a região - muito provavelmente na expectativa de piora das condições nesta parte do mundo.

 Contrariamente às declarações do presidente da Romênia, a implantação de defesa antimísseis é direcionada justamente contra a Rússia. Poderíamos tomar medidas de retaliação, como implantar e transferir Iskanders na área. No entanto, isso requer vontade política. O lobby pró-ocidental na elite russa é muito forte, e eles preferem comprar armas da OTAN que não precisamos, como navios  "Mistral". É pouco provável que iremos responder às defesas anti-mísseis na íntegra. "

 A política dos Estados Unidos é clara. No entanto, o surgimento de elementos do sistema americano de defesa antimíssil na Romênia não seria possível sem o consentimento da Romênia em si, que muitos simplesmente não conseguem ver por trás das costas poderosas do presidente dos Estados Unidos, que Basescu é um político pró-americano, mas ele não é um "cachorro na coleira" de Washington. Ele não teve medo, por exemplo, ao dizer "não" ao reconhecimento da independência do Kosovo. No entanto, em relação à Rússia os interesses dos Estados Unidos e Romênia são claramente os mesmos.

 Basescu repetia que a Moldávia deve voltar a ser uma parte da Romênia. Ele acredita que um grande obstáculo para isso é a Rússia que tem se queixado repetidamente sobre o grande plano romeno. Para Basescu, os elementos de defesa antimísseis é uma oportunidade adicional para pressionar a Rússia a fazer  mais acordos sobre as questões da Moldávia e Transnístria.

 Neste caso, os Estados Unidos e Romênia, como eles dizem, encontraram-se mutuamente. A Rússia terá de responder não apenas aos americanos, mas também para os romenos. Não há nenhuma garantia de que será uma e a mesma resposta. Por exemplo, a implantação de mísseis Iskander na Transnístria é improvável que Washington impressione, mas seria uma história diferente para Bucareste.

Vadim Trukhachev
Pravda.Ru

Fonte: http://english.pravda.ru/world/europe/05-05-2011/117796-usa_romania-0/

E.U.A anuncia Base Aérea Deveselu como novo site de defesa antimísseis na Romênia.

 O Subsecretário de Controle de Armas e Segurança Internacional, Ellen Tauscher Deveselu anunciou a Base Aérea da Romênia, o novo site de defesa antimíssil.

 "É uma grande honra para mim estar de volta na Romênia, em nome dos Estados Unidos, bem como assinalar este marco importante e também um grande privilégio para mim viajar para Olt County para discutir a implantação de um interceptor de mísseis de defesa dos Estados Unidos . " disse Tauscher.

 Os Estados Unidos e a Romênia têm uma relação forte e cooperativa. O governo romeno é um grande amigo e um valioso aliado da OTAN. Ambos os países estão trabalhando juntos em alguns dos desafios de segurança atuais mais prementes, como o Afeganistão e a Líbia.

 "O anúncio que fizemos hoje é um marco muito importante para os nossos dois países e para a OTAN. Ele fornece à Romênia um papel de liderança nas capacidades de míssil de defesa da OTAN . Esta cooperação demonstra como os nossos dois governos estão trabalhando juntos para tornar uma realidade a decisão da OTAN em Lisboa, um marco sobre a defesa antimíssil".- afirmou Tauscher

 Tauscher disse que o site também oferece uma nova missão e novas oportunidades para a Base Aérea Deveselu e as povoações vizinhas.

 "Estamos muito agradecidos pela excelente cooperação que recebemos do governo romeno e como conduzimos nossa revisão de sítios potenciais. De todos os sites que analisamos, Deveselu teve o ranking mais elevado em termos de adequação, bem como facilidade de desenvolvimento. O site tem muitas vantagens, incluindo infra-estrutura existente e geografia vantajosa." - continuou Tauscher.

 Tauscher também disse que os Estados Unidos espera continuar e reforçar suas relações bilaterais com a Romênia, nos próximos anos e trabalhar juntos para fortalecer a OTAN.

Fonte: http://newsblaze.com/story/20110504155316stat.nb/topstory.html

Confirmação e justificativas dos planos e capacidades do sistema de defesa de mísseis balísticos.

 Os Estados Unidos e a Romênia escolheram em conjunto, a Base Aérea de Deveselu, perto da Base Aérea de Caracal, na Romênia, para hospedar a Defesa de Mísseis Balísticos dos Estados Unidos, sistema que emprega o interceptador SM-3 (também conhecido como o "Aegis Ashore System"). A implantação desse sistema na Romênia está prevista para ocorrer no período de 2015, como parte da segunda fase do  Abordagem Adaptativa Faseada Européia (AAPE) - a contribuição nacional dos E.U.A. para uma arquitetura de defesa antimísseis da OTAN.

 A AAPE irá proporcionar uma proteção dos territórios europeus da OTAN e das populações e aumentar a proteção dos Estados Unidos, contra as crescentes ameaças colocadas pela proliferação de mísseis balísticos do Oriente Médio. Em novembro de 2010 na Cúpula da OTAN, a Aliança saudou a AAPE como um contribuição nacional dos Estados Unidos para a capacidade de defesa de mísseis da OTAN.

Aspectos técnicos do sistema de defesa de mísseis balísticos dos Estados Unidos na Romênia.

 O local será composto por um radar Aegis, comandos associados, controle e suíte de comunicação. Vão abrigar uma série de módulos de lançamento contendo  interceptores SM-3.
     
 O pessoal pode viver e trabalhar com segurança perto do sistema de radares Aegis. Os Estados Unidos têm operado com segurança o radar Aegis em seu local de ensaio em New Jersey Moorestown, há mais de 30 anos, sem qualquer perigo às pessoas ou ao meio ambiente.
     
 O interceptor SM-3 é apenas para fins defensivos e não tem capacidade ofensiva. Eles carregam ogivas não explosivas de qualquer tipo, e contam com a sua energia cinética ao colidir com mísseis inimigos e destruir as ogivas de mísseis balísticos.
     
 A configuração em terra do sistema Aegis de mísseis balísticos de defesa, serão testados em um centro especializado no site de testes de mísseis do Pacífic Range Facility (PMRF) no Havaí a partir de 2014.

As características propostas do sistema de defesa de mísseis balísticos dos Estados Unidos na Romênia.

 O site de Defesa de Mísseis Balísticos possui cerca de 430 acres (175 hectares) e está localizado dentro da Base Aérea romena existente em Deveselu.
     
 É estimado um contingente de 200  militares, civis, do governo e empreiteiros, no apoio necessário para operar as instalações dos Estados Unidos no site.

Restos (resíduos) e potencial de interceptação.

 Os interceptores SM-3 baseados na Romênia não serão utilizados para testes de vôo, e serão lançados apenas na defesa contra um ataque real.
     
 O risco de dano ou prejuízo a partir de uma interceptação e os restos são pequenos e representam pouca ameaça para as pessoas e bens. A alternativa (que permite a ameaça de uma ogiva para a sua meta de impacto) provavelmente resultaria em conseqüências muito mais graves.

Capacidade defensiva comprovada.

 O sistema de defesa contra mísseis balísticos Aegis Ashore incorpora décadas de atuação eficaz e fiável do sistema Aegis baseado em  navio em seu projeto e programa de teste.
     
 O Aegis Ballistic Missile Defense System tem se mostrado eficaz através de ensaios repetidos. Desde 2002, o sistema tem sido bem sucedido em 21 dos 25 testes de vôo com o interceptor SM-3.

Fonte: http://www.state.gov/t/avc/rls/162446.htm

Leia também: 

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Geórgia descarta guerra com a Rússia.

Comparação das forças em movimento na guerra russo-georgiana em 2008. Foto: bellum.com.pl

 A Geórgia descarta promover outra guerra com a Rússia para "retomar os territórios ocupados” da Abkhásia e Ossétia do Sul, afirmou o presidente georgiano, Mikail Saakashvili, ao intervir na tribuna do Parlamento Europeu, em Estrasburgo.

 Saakashvili concluiu que é necessário “demostrar paciência a nível estratégico” para alcançar a libertação da  quinta parte do território georgiano e reconcilia-se com a Rússia, com a qual a Geórgia rompeu as relações diplomáticas em 2008, após Moscow apoiar e o reconhecer a independência de Abkhásia e Ossétia do Sul. “Não podemos mudar nossa geografia, precisamos encontrar uma maneira de conquistar acordos com a Rússia”, disse.

Cronologia da Guerra em agosto de 2008.

 Zurab Abashidze, antigo embaixador da Geórgia na Rússia, informou numa entrevista com o periódico Vremya Novostei que o Kremlin “tem agora uma relação mais construtiva com os Estados unidos e a OTAN”, sendo assim “resulta mais fácil achar uma fórmula de comunicação entre Moscow e Tbilisi”.

 O politólogo georgiano Paata Zakareishvili dá sua opinão dizendo que “Saakashvili não quer na realidade o diálogo com a Rússia e só a espeita forçosamente considerando a postura dos Estados Unidos e da Europa”. “Nem Obama nem os europeus necessitan agora se injuriar contra Moscow”, declarou.

 Konstantín Kosachov, chefe do comitê de assuntos internacionais na camara baixa do Parlamento russo, sugeiu “referendar em documento anexo” a proclamada abstenção de usar a fuerza para o restabelecimento da integridade territorial da Geórgia. Se Tbilisi firmasse o respectivo acordo com Abkhásia e Ossétia do Sul, “Rússia poderia atuar na qualidade de fiador”, afirmou o parlamentar.

Fonte: http://sp.rian.ru/international/20101124/147946760.html

Leia também:



segunda-feira, 23 de maio de 2011

Sobre Estados Unidos e Rússia e quem é o verdadeiro império do mal.

 Um ano atrás, a comunidade de jornalistas do The New York Times lançou um site cujo objetivo era fazer com que as pessoas compartilhassem suas histórias sobre a verdadeira Rússia. O site contém todos os tipos de materiais comprometedores, escândalos e outras coisas negativas que podem ou não existir na Rússia. Pode-se encontrar um pouco de notícia positiva sobre o site - sobre os norte-americanos que participaram no desfile da vitória na Praça Vermelha.

 Esta é a imagem da Rússia que está sendo formada nos Estados Unidos. É assim que o país é visto por muitos americanos. Perguntada sobre quais as tecnologias que eles usam para criar uma imagem negativa da Federação Russa ou como a mídia cria a imagem da guerra no Afeganistão, por exemplo, Arkady Mamontov, bem conhecida jornalista russa compartilhou seus pensamentos sobre o assunto com o Pravda.Ru.

 Pravda: "Quem é a Rússia realmente, que a mídia não tenta mostrar aos leitores e telespectadores americanos?"

 Arkady Mamontov: "A Rússia real é você e eu. É o povo, que acorda de manhã cedo ou no final da manhã e vai trabalhar. É o povo que educa os filhos, que vai às igrejas ou mesquitas. Esta é a nossa Rússia - a Rússia real, o melhor e mais maravilhoso país do mundo e as pessoas que vivem aqui são as melhores e mais bonitas do mundo "..

 Pravda: "Por que os americanos criam esse site sobre a verdadeira Rússia?"

 Arkady Mamontov: "A história traz com o imperador Alexandre III, cujas palavras, que ele disse em uma sessão do Conselho de Estado o fez imortal. Disse na ocasião que a Rússia não tinha amigos e não tinha inimigos. O único aliado da Rússia e amigo é o seu exército e a sua marinha, disse ele.

 "É por isso que não surpreende em nada, quando os cidadãos americanos, que se dizem jornalistas pegam a roupa suja e dizem que esta é a verdadeira Rússia. Para eles, somos como uma pedra no selim. Para eles, nós somos como um grande imenso país, que ainda pensa que a questão mais importante da existência humana é "Por que viver?" em vez de "Como viver?"

 "É por isso que eles não gostam dos russos, não gostam da Rússia. Entendem que há muita riqueza aqui, uma grande quantidade de petróleo, água fresca e todos os tipos de depósitos minerais. Um país de população branca e seus filhos, os filhos daqueles russos, devem ser levados e se mudarem para a América, porque eles têm a homossexualidade e a pedofilia prosperando lá, infelizmente."

 Pravda: "O que te faz pensar - levá-los embora e passar para a América para ter seus órgãos retirados?"

 Arkady Mamontov: "Bem, inclusive isto também."

 Pravda: "Como é, a verdadeira América?"

 Arkady Mamontov: "Sei muito sobre a verdadeira América, eu já estive lá duas vezes. A primeira vez estudei lá durante um mês, e, em seguida, visitei-a novamente quando estáva filmando um filme de espiões lá. Eu sei que tipo de pessoa que os americanos são, que tipo de elite eles têm, e o que a liberdade americana realmente é. Não há nenhuma necessidade para mim dizer alguma coisa sobre eles, eu sei que são pessoas também. O povo americano não é ruim, na verdade. As pessoas em geral nunca podem ser ruins. "

 Pravda: "Então isso significa que é tudo sobre a elite?"

 Arkady Mamontov: "A elite que toma decisões e que lida com questões internacionais, que segue o desenvolvimento do seu país - essas pessoas odeiam a Rússia nós nunca vamos ser amigos deles. Eles tem filosofia diferente, e uma atitude diferente à vida Graças a Deus, nós somos... diferentes. Costumávamos ser chamados o império do mal, mas nós não somos o império do mal. Nós somos o império do bem, estamos semi-destruídos e semi-sufocados, mas continuamos a ser o império do bem e da fé. O verdadeiro império do mal é a América."

 Pravda: "Que tipo de exército que eles têm lá?"

 Arkady Mamontov: "Decidimos fazer um filme. Pegamos muitos arquivos de vídeo na rede, do que os soldados dos E.U.A. fizeram no Afeganistão, e nós fizemos o filme intitulado "O Afeganistão americano". O filme não foi lançado ainda. Nós acabamos de editar as imagens a partir da Internet e traduzir o que os soldados estavam dizendo lá. "

 Pravda: "E o que eles estavam dizendo?"

 Arkady Mamontov: "A cena um. Um grupo de crianças que não falam inglês, aproxima-se a um soldado americano, ele diz a elas: "Eu vou te ensinar Inglês". E então ele diz: "Eu sou um porco", e ele diz à criança: "Repeat". E a criança repete. "Aceita um doce, você é um burro, toma um doce", diz o soldado. Isto é sobre o que o soldado americano é. Isso não é o soldado soviético, que não se comportou assim. Esta é uma atitude completamente diferente. Esta é uma forma de desprezo anglo-saxão para o resto do mundo. fascismo branco."

 Pravda: "Mas esses são vídeos privados."

 Arkady Mamontov: "Eles são, mas eles caracterizam essas pessoas. O entendimento mental, a atitude de outras pessoas, para as nações, para homens, mulheres, crianças e assim por diante."

 "Quando iamos à guerra no Afeganistão, recebiamos muitos e-mails de americanos que estavam reagindo ao que estava lendo sobre a versão em Inglês do Pravda.Ru. Muitos deles escreveram coisas como "não há nada mais precioso que a vida de um soldado americano."

 "Não há nada mais precioso que a vida de um soldado russo."

 "Nossos leitores de lingua inglêsa uma vez nos enviaram uma diretiva fechada para os jornalistas da CNN, em que descreveram os acontecimentos no Afeganistão. Foi afirmado lá claramente que as imagens de sangue e corpos mortos e edifícios demolidos não devem ser exibidas. Isso provavelmente poderia estar correto, mas as pessoas estavam nos escrevendo, dizendo que se tivesse havido uma destruição no Afeganistão teriam mostrado na TV. Queríamos saber quais canais que eles assistiram. Eles responderam que assistiram a CNN, mas a CNN não mostrava nada assim. Demos-lhes um conselho para assistir a fontes alternativas de notícias. Em resposta, recebemos o seguinte: "Eu observo as fontes alternativas - a BBC, mas eles não estão mostrando nada parecido com o que é. "Tudo está bem no Afeganistão"...

 "Esta é uma máquina de propaganda. Mas nós estamos fazendo propaganda também. Se os tempos difíceis chegarem para o meu país a máquina de propaganda vai trabalhar ao máximo, se necessário. Na América, esta máquina está a trabalhar ao máximo. E está trabalhando de uma forma muito sofisticada e pensada. Mas uma cobra sempre morde a própria cauda, ​​quando não há nada para comer. Hillary Clinton disse recentemente que os Russos que transmitiram para América deixaram os canais dos Estados Unidos para trás. Na Rússia, há ainda a noção de jornalismo - a alma. Há pouco do jornalismo, mas ainda resta. Eles não têm isso. Tudos o que eles têm é um negócio, profissionalismo e um monte de mentiras."

Inna Novikova

Vadim Trukhachev

Pravda.Ru

Extraído do texto original:

Russian journalist: 'USA is the real empire of evil'


Fonte: http://english.pravda.ru/russia/politics/14-04-2011/117572-usa_empire_evil-0/

Link original: http://www.pravda.ru/world/northamerica/usacanada/14-04-2011/1073535-usa-0/

domingo, 22 de maio de 2011

Cientístas russos desenvolvem novo padrão wireless de comunicação.

Moscow, 26 de janeiro, RIA Novosti.

 Cientístas russos desenvolvem um novo padrão de comunicações sem fio, HPIP, que supera em algumas características a tecnologia atual, LTE.

 Uma equipe de investidores particulares de Hong Kong já pagou 30 milhões de dólares pela exclusiva distribuição do produto em China, Malásia, Indonésia, Índia e Hong Kong, comunicou Iván Poliakov diretor da empresa siberiana Radiozavod A.S. Popov que criou a nueva tecnología.

 Comparado ao padrão LTE, o HPIP (pela sigla em inglês de Hybrid Public Intellectual Product) garante a mesma capacidade de tráfego – até 10 Mbps - porém uma maior cobertura originada a partir da estação base. Para introduzir a nova tecnologia, é necessário mudar as estações base e substituir nos telefones celulares os chips GSM por outros, HPIP.

 Dmitri Déyev, especialista da empresa MForum Analitics, apontou que o lançamento do novo produto ao mercado “requer recursos colossais” e que “somente a Rússia não poderá fazer-lo nem custear esse investimento”, além das normas existentes - GSM, CDMA, LTE – também podem modernizar-se ao ponto de competir com o HPIP.

 Seu colega Konstantín Ankílov, da iKS-Consulting, considera que os autores da nova tecnologia acertaram a venda de direitos para o mercado asiático. “Se algum dos fabricantes taiwaneses de telefones celulares apoiar esse modelo, em cinco ou sete anos automaticamente se tornará popular a escala global”.

Fonte: http://sp.rian.ru/science_technology_space/20110126/148247670.html

sábado, 21 de maio de 2011

Facebook é o maior veículo de espionagem já criado.



 O fundador do WikiLeaks, Julian Assange em entrevista exclusiva à agência RT (anteriormente conhecida como Russia Today) citando que Facebook é a maior ferramenta de espionagem da história. De acordo com Assange, o Facebook recolhe automaticamente dados confidenciais dos usuários registrados do site e, posteriormente, essa informação é transferida para a inteligência dos EUA.

 O fundador do WikiLeaks disse em uma entrevista na televisão que o Facebook é maior veículo de espionagem já criado por seres humanos. Ele acrescentou que estávamos lidando com um banco de dados muito detalhado sobre as pessoas, seus hábitos, seus laços sociais, endereços, locais de residência, familiares e todos os dados destes estão localizados nos Estados Unidos e à disposição da inteligência do páis norte-americano.

 Respondendo a pergunta sobre o papel das redes sociais na definição das revoluções recentes no Oriente Médio, o infame jornalista online disse que o Facebook, em particular, foi o mais repugnante de todas as ferramentas de espionagem já inventado. Ele disse que os usuários devem estar cientes de que a adição de um contato no Facebook está auxiliando o trabalho para a inteligência americana, atualizando seu banco de dados. Outras inteligências podem querer mutilar o Facebook, ou apropriar-se das informações dos Americanos em troca de alguns serviços.



 Ele afirmou que o Facebook, o Google e o Yahoo, todas as grandes empresas americanas, tem incorporado interfaces para ser utilizadas pela inteligência americana. Isso quer dizer que o Facebook está nas mãos da inteligência norte-americana? Não, é diferente. Isso significa que as agências de inteligência dos E.U.A. têm meios legais e políticos para pressioná-los.

 Assange está esperando atualmente a revista da sua reclamação quanto à decisão do tribunal de Londres no tocante a sua extradição à Suécia, cujas autoridades acusam o australiano de 39 anos de crimes sexuais. Os advogados de Assange tendem a acreditar que a Suécia está buscando sua expulsão para entregar o investigador da verdade aos Estados Unidos. Enquanto isso, o desmistificador mais famoso de nossos dias, quem, de fato, não derruba nada, está declarando novamente verdades elementares.

 Recentemente, o Facebook tem intrigado alguns dos seus usuários, com as configurações de privacidade e segurança, e o fundador da empresa, Mark Zuckerberg opôs-se fortemente ao anonimato na Internet. Sua declaração provocou resistência por parte do fundador do site 4chan, Christopher "discutível" Poole, que considera que a preservação do incógnito permite que as pessoas se revelem em toda a sua totalidade, sem disfarces, a beleza brutalmente primitiva. A autoridade, ou se você decidir, a popularidade de Assange como um pirata não modificará muito a situação com as redes sociais. Os coletores das almas das pessoas que fizeram a aposta certa, e apostam confiando na estupidez comum.

 Nos últimos cinco anos, quase um bilhão de pessoas em todo o mundo foram no sentido pleno presas na rede, e seu número aumenta exponencialmente. A liderança dos principais meios de comunicação exigem que seus funcionários se registrem em tais sites de redes sociais como o Facebook ou o seu análogo russo VKontakte.

 "O problema do vazamento de dados das redes sociais, serviços de Internet e dispositivos móveis está se tornando cada vez mais urgente. Há relatos regulares de telefones e plataformas Android IOS preservarem fotografias, dados sobre o movimento do dispositivo e dados pessoais e lhes enviar à rede, relatou o "Globalist". Em 01 de maio o buscador "Yandex" reconheceu e forneceu ao FSB (Bureau de Segurança russo) os dados de pessoas que utilizam os serviços de Yandex. Não devemos esquecer que as redes sociais podem se tornar um ponto de encontro para os terroristas e psicopatas perigosos, que tem sido um tema para uma discussão desde o início das redes sociais.

 O único argumento dos que perderam a fé em teorias da conspiração é o seguinte argumento: é uma tarefa difícil lidar com esta quantidade de informação. No entanto, além da política as redes sociais têm um componente social e público negativo.

 "Os psicólogos acreditam que as mais populares redes sociais são baseadas no princípio da pirâmide de Maslow. Segundo esta teoria, o mais alto nível das necessidades do indivíduo é simplesmente a auto-expressão. Um usuário da rede não pode apenas fornecer informações sobre si próprios, mas também mostrar os seus sucessos, criar bibliotecas de áudio e vídeo, próprios álbuns. No entanto, poucas pessoas pensam sobre as informações que tão levianamente colocam em nossas páginas. Essa informação torna-se uma meta desejável para os serviços de inteligência e, como a experiência das redes sociais americanas indica, é uma ótima maneira para os credores determinarem o lucro real. Nos serviços de inteligencia foi registrado uma série de casos em indivíduos mentalmente desequilibrados que rastrearam e chantagearam os usuários", informou "Globalist".

 Nós não somos mais capazes de viver sem a rede social e não vamos parar de comer o peixe capturado no Japão. Algumas pessoas vão continuar gritando que tudo é mentira (como o venenoso peixe de "Fukushima"), outros vão continuar a resistir a tentativas frustradas de progresso. Seria interessante saber como o presidente russo e outros altos funcionários, que abriram suas contas no Facebook e no Twitter estão protegidos contra tal escrutínio dos serviços secretos estrangeiros. É bastante claro, por que essa questão não foi colocada a Julian Assange. Afinal, ele tem reiteradamente admitido que suas principais revelações ainda estão por vir, explicando que a informação que já foi revelada é "apenas a ponta do iceberg."

Igor Bukker
Pravda.Ru

Fonte: http://english.pravda.ru/world/americas/06-05-2011/117818-julian_assange_facebook-0/


Leia também:


WikiLeaks e os conflitos no Cyberespaço – Parte II

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Rússia terá avançado sistema de comunicação móvel para os serviços secretos.


 O presidente russo, Dmitri Medvédev, encomendou a criação de um moderno sistema de comunicação móvel para as necessidades dos serviços secretos, segundo declaração do secretário do Conselho de Segurança da Rússia, Nikolái Pátrushev.

 "Trata-se de telefones celulares que permitirão suportar conversas de qualquer localidade do mundo sem serem interceptadas", comentou Pátrushev ao término de uma reunião do Conselho de Segurança dedicada à criação de modernos sistemas de comunicação para as áreas da defesa, da segurança e da ordem pública.

 Informou que o Ministério da Defensa, o Serviço Federal de Segurança (FSB) e o Serviço Federal de Escoltas da Rússia (FSO) já dispõem desse sistema de comunicação móvel.

 "É um sofisticado celular de pequenas dimensões e impossibilita a interceptação das conversas realizadas pelos usuários", informou o secretário do Conselho de Segurança da Rússia.

Fonte: http://sp.rian.ru/neighbor_relations/20101001/127901011.html


Leia também:

quinta-feira, 19 de maio de 2011

Twitter e Facebook promotores da revolução na África.

 O mundo parece estar entrando em uma nova etapa da história contemporânea, caracterizada pela organização de revoluções através de novos meios de comunicações poderosos, mediante os websites e as redes sociais.

 Em Túnis as autoridades compreenderam isso tarde demais, como resultado o ex presidente tunísio se encontra refugiado na Arábia Saudita.
As autoridades do Egito demonstraram a sabedoria dos faraós, ao detectar mais rápido a fonte que ameaçava ao império, e enquanto a polícia dedicava-se a reprimir os manifestantes nas ruas, as estruturas eletrônicas governamentais bloquearam todas as janelas que utilizavam a revolução pela Internet.

 As redes sociais foram declaradas inimigas número 1 do governo egípcio, porque foram reconhecidas como as principais promotoras das revoltas, e se isto é verdade, será a primeira manifestação da potência revolucionária dos meios de difusão pela internet.

 Agora Twitter, Facebook, Hotmail, Google, YouTube, o buscador chinês Baidu e os servidores proxy estão bloqueados no Egito. Por que é precisamente através deles, assim como por SMS, que se difundem e organizam as reuniões e manifestações de protesto contra o regime, contra o governo, atraso social, pobreza, etc.

 E, claro, contra aquilo que para muitos é o símbolo de seus infortúnios, o presidente Hosni Mubarak, que está no poder a quase 30 anos consecutivos.

 Antes para derrubar um reino bastava apoderar-se do palácio. Depois tomavam bancos, telégrafo, as estações de transporte, mais tarde, jornais, emissoras de rádio e televisão.

 Agora, para ser bem-sucedido organizando uma rebelião ou tomando medidas contra ela é essencial trabalhar ativamente na internet. Para se manter no poder, não é suficiente ter o controle da imprensa, do rádio e da televisão.

 Um ditador, tirano ou qualquer dirigente corrupto e impopular terá que influenciar ao seu interesse os meios antes mencionados.

 Enquanto for possível, mesmo que nada fácil, controlar esses meios dentro do país, porque é uma utopia procurar influenciar os meios cibernéticos que estão fora do país.

 As primeiras manifestações contra Mubarak se caraterizaram por não ter uma organização central, nem gozar de apoio da oposição. A maioria dos manifestantes foram jovens, fãs, estudantes. Parecia mais enorme tumulto relâmpago pan-egípcio.

 O que aconteceu foi que, perdendo a fé na imprensa e na televisão totalmente controladas pelo governo, os manifestantes recorreram a meios eletrônicos, como o Twitter e o Facebook.

 Note-se que dos 80 milhões de cidadãos no Egito apenas 24%, ou cerca de 19 milhões têm acesso à Internet. Principalmente, através de Lan Houses. Somente um milhão de cidadãos tem acesso direto. Mas cerca de 26 milhões de cidadãos possuem telefones celulares e foi precisamente assim que receberam convites para ir às ruas e levantar-se contra o governo.

 O provedor de telefonia celular mais importante no Egito, Vodafone, já anunciou que não teve nada a ver com o bloqueio do Twitter. Segundo especialistas, o governo egípcio tem bloqueado as torres de transmissão de celulares e redes e até mesmo incluído todos os centros de comunicação sob o controle das subdivisões do exército para a ligação eletrônica.

 O Egito nunca se destacou pela liberdade no campo da mídia eletrônica. É lógico para o país que desde 1981 vivia em um estado de emergência cancelado em parte em Maio passado. As suas provisões no que se refere à luta contra o terrorismo (e nesta esfera qualquer pode ser incluído) ainda são válidas.

 Mas até alguns dias, o controle sobre a internet consistia em bloquear certos blogs radicais e antigovernamentais. Nunca aconteceu nada como o que ocorre nos dias de hoje.

 Ao mesmo tempo, a censura da Internet é algo habitual para o Oriente Médio. A Arabia Saudita é a primeira nesse ramo: bloqueia todos os websites suspeitos desde as convicções de moral ou política, tanto de pornografia como de oposição à política. Possui um dos sistemas mais perfeitos de seleção da informação sobre a Internet, as autoridades podem selecioná-las. A Síria bloqueia todos os sites de oposição e todos os sites de notícias de Israel. Os Emirados Árabes Unidos tomaram medidas semelhantes.

 O ritmo do crescimento de popularidade do Twitter são surpreendentes. Há apenas uns três anos era pouco conhecido. Em 2007 (foi criado em 2006) foram enviadas umas 400 mil mensagens tweets ao trimestre. Hoje esse número saltou para 5 bilhões.

 Até recentemente, o Twitter foi considerado um divertimento banal e sem sentido para aqueles que não têm nada para fazer. Hoje, as grandes corporações podem ouvir frases como "Nossa estratégia twitter para este ano...."

 Sua força é que ela não é controlada pelo governo ou pela imprensa ou na televisão. Através do Twitter você pode definir o tempo de uma conferência de imprensa para iniciar uma campanha política ou organizar uma rebelião, sem recorrer a fontes oficiais. Também para chamar o povo para uma revolução.

 É tempo de mudar as atitudes para redes sociais como entretenimento exótico. Um mero entretenimento não pode servir como um meio de preparar e organizar as revoluções como na Tunísia e no Egito.

 Os meios de comunicação deixam de representar o poder cedendo lugar a meios de comunicação mais poderosos, cujo papel ainda é subestimado. A verdade é que agora, com estes novos meios eletrônicos, os ditadores não podem se sentir seguros em momento algum.

Andréi Fediashin

RIA Novosti

Fonte: http://sp.rian.ru/opinion_analysis/20110131/148278289.html

segunda-feira, 16 de maio de 2011

Barack Obama enviará alertas de texto de terrorismo para todos os telefones dos EUA.


 O presidente Barack Obama será capaz de enviar a qualquer telefone móvel nos Estados Unidos um aviso em mensagem de texto de qualquer perigo iminente, de um ataque terrorista a um desastre natural, segundo os planos anunciados na terça-feira (10/05).

 A partir do próximo ano, os novos telefones e outros dispositivos portáteis serão obrigados a estar equipados com chips especiais para receber os alertas, que também serão enviados pelas autoridades estaduais e locais. Os usuários serão capazes de optar por qualquer tipo de alerta, exceto os do presidente, informou a Comissão Federal de Comunicações.

 O sistema irá incluir alertas sobre crianças desaparecidas e substituirá todo o tráfego de outro telefone para evitar atrasos.

 Obama, que foi apelidado de "texter-em-chefe", graças à sua devoção a seu BlackBerry e uso pesado de mensagens de texto durante a sua campanha de 2008, pode ter de enfrentar as críticas dos liberais para o caráter obrigatório das indicações presidenciais.

 Mas os funcionários vêem o sistema, conhecido como Rede de Alerta Localizada Pessoal, ou Plano, como uma progressão lógica de alertar o público através do rádio e da televisão.

 "A lição que foi reforçada em 11/09 é a importância de obter informações claras e precisas ao público durante uma crise", afirmou Michael Bloomberg, prefeito de Nova York, onde o sistema será implantado no próximo ano em primeiro lugar. O sistema será transferido para Washington, e mais outras grandes cidades.

Fonte: http://www.telegraph.co.uk/technology/news/8506093/Barack-Obama-to-be-able-to-text-terror-warnings-to-all-US-phones.html


Leia também:


C.I.A. faz os filhos espionarem seus próprios pais.

domingo, 15 de maio de 2011

A espionagem pessoal e a China: O próximo Bin Laden.



 George Orwell, o pseudônimo pelo qual é conhecido Eric Blair, tinha o dom de prever, ou então a sorte cega. Em 1949, em seu romance de 1984, ele descreveu a America de hoje e, temo, também sua terra natal, a Grã-Bretanha, que já não é grande e segue Washington, lambendo sua bota e submetendo-se à hegemonia americana sobre a Inglaterra e a Europa, e esgotando-se financeiramente e moralmente a fim de apoiar a hegemonia americana sobre o resto do mundo.

 Na previsão de Orwell, as regras do Big Brother do governo é inquestionável sobre as pessoas, incapazes de pensamento independente, e são constantemente espionadas. Em 1949 não havia Internet, Facebook, Twitter, GPS, etc. O Big Brother de espionagem foi feito através de câmeras e microfones em áreas públicas, como na Inglaterra de hoje, e através da televisão equipada com dispositivos de vigilância nas casas. Como todos pensavam que o governo lhes tinha destinado para pensar, era fácil identificar os poucos que estavam sob suspeita.

 O medo e a guerra foram usados ​​para manter todos na linha, mas nem Orwell antecipou a Segurança da Pátria sentindo até os órgãos genitais dos passageiros aéreos e clientes dos shopping centers. Todos os dias na vida das pessoas, recaiu sobre a TV os dois minutos de ódio. A imagem de Emmanuel Goldstein, uma criação de propaganda do Ministério da Verdade, que é designado como o inimigo número um da Oceania, aparecia na tela. Goldstein foi o não-existente "inimigo do Estado", cuja organização não-existente, “a Fraternidade”, foi inimiga terrorista da Oceania. A ameaça Goldstein justificou a "Homeland Security“ (a Segurança da Pátria) que violou todos os direitos conhecidos dos ingleses e manteve os sujeitos da Oceania "seguros".

 Desde 9 / 11, com alguns desvios em Xeique Mohammed e Mohamed Atta, os dois rivais de bin Laden como o "mentor de 11/09," Osama bin Laden tem desempenhado o tipo do século 21 de Emmanuel Goldstein. Agora que o regime Obama anunciou o assassinato do Goldstein dos dias modernos, um novo demônio deve ser construído antes que as guerras da Oceania fiquem sem justificativas.

 Hillary Clinton, a bem pouco qualificada, que é secretária de Estado dos E.U.A., está ocupada no trabalho, tornando a China o novo inimigo da Oceania. A China é o maior credor da America, mas isso não inibiu Hilary, esta semana, na frente de altos funcionários chineses, denunciou a China por "violações de direitos humanos" e pela ausência da democracia.

 Enquanto Hilary estava gostando do discurso teórico e mostrando a hipocrisia americana indizível, os matadores a serviço da Segurança da Pátria tinham organizado a polícia local e os vereadores de uma pequena cidade que é a terra natal da Western Illinois University e definido a estudantes pacíficos que estavam desfrutando de sua festa de rua anual. Não houve tumulto, não houve danos à propriedade, mas a polícia ou as equipes de Segurança da Pátria SWAT apareceram com canhões de som, lançaram gás contra os estudantes e os espancaram. http://www.youtube.com/watch?v=ufKv-5t0t4E

 Na verdade, se alguém prestar atenção ao que está acontecendo na América hoje, uma polícia militarizada e a Segurança Interna estão destruindo os direitos constitucionais de reunião pacífica, protesto e liberdade de expressão.

 Para fins práticos, a Constituição dos EUA não existe mais. A polícia pode bater, torturar, abusar, e falsamente prender cidadãos americanos e não experimentar nenhuma consequência adversa.


 O órgão executivo do governo federal, ao qual estamos habituados a olhar para nos proteger de abusos a nível estadual e local, adquiriu direito sob o abrigo do regime de Bush de ignorar as leis dos Estados Unidos e as leis internacionais, juntamente com a Constituição dos Estados Unidos e dos poderes constitucionais do Congresso e do Judiciário. Enquanto houver um "estado de guerra", como a "guerra declarada ao terror", o Poder Executivo é superior à lei e não se explica a lei. A América não é uma democracia, mas um país governado por um órgão executivo de César.

 Hillary, claro, como o resto do governo dos E.U.A., está assustada com o recente relatório do Fundo Monetário Internacional (FMI) que a China vai ser a economia mais poderosa em cinco anos.

 Tal como o complexo militar/segurança pressionou o presidente John F. Kennedy, para iniciar uma guerra com a União Soviética sobre a crise dos mísseis em Cuba, enquanto os americanos ainda tinham a vantagem nuclear, Hillary agora está lançando sobre a China o papel de Emmanuel Goldstein. O ódio tem que ser mobilizado, antes que Washington mova as massas patrióticas ignorantes para a guerra.

 Como pode continuar a Oceania se o inimigo declarado, Osama bin Laden, está morto. O Big Brother tem o dever de imediatamente inventar um outro "inimigo do povo".

 Mas Hillary, escolheu um país possuidor de mais que armas militares. Enquanto os Americanos apoiam os "dissidentes" na China, que são suficientemente estúpidos por acreditar que a democracia existe na América, o governo chinês insultado senta sobre 2 trilhões de dólares americanos em ativos, que podem ser depositados, assim destruindo o valor de câmbio do dólar dos Estados Unidos e o dólar como moeda de reserva, a fonte principal do poder dos Estados Unidos.

 Hillary, em um ato de hipocrisia sem precedentes, denunciou a China por "violações de direitos humanos". Isto de um país que tem violado os direitos humanos de milhões de vítimas em nosso próprio tempo no Iraque, Afeganistão, Paquistão, Iêmen, Líbia, Somália, Abu Ghraib, Guantánamo, prisões secretas da CIA espalhadas por todo o planeta, nos tribunais dos E.U.A. da lei, e, as detenções e apreensão de documentos de manifestantes de guerra americanos. Não há pior violador dos direitos humanos no planeta do que o governo dos E.U.A., e o mundo sabe disso.

 A arrogância e prepotência dos políticos dos E.U.A., e as mentiras que eles inculcam no público americano, expuseram Washington para a guerra com o país mais populoso do planeta, um país que tem uma aliança militar com a Rússia, que tem armas nucleares suficientes para destruir toda a vida na Terra. Incompetentes amedrontados de Washington estão desesperados para configurar a China como o novo Osama bin Laden, a figura de dois minutos de ódio a cada hora de notícias, de modo que apenas a superpotência mundial pode tirar os chineses, antes de ultrapassar os Estados Unidos como a número um no poder .

 Nenhum país do mundo tem um governo governo tão irresponsável e com tamanha responsabilidade ​​quanto o que tem os americanos. No entanto, os americanos vão defender sua própria opressão, e aquela do mundo, até o amargo fim.

Paul Craig Roberts é um colaborador freqüente do Global Research.

Fonte: http://www.globalresearch.ca/index.php?context=viewArticle&code=ROB20110511&articleId=24715

quarta-feira, 11 de maio de 2011

China e Rússia preocupados com extensão da Guerra no Norte da África e no Oriente Médio.

Encontro dos militares russos e chineses no âmbito da cooperação entre os dois países.

Rússia e China alertam para os efeitos do "perigo global".

Seria este o raiar no horizonte para uma aliança militar entre China e Rússia? Moscou e Pequim, preocupam-se com os eventos no Norte da África e no Oriente Médio. Creêm que se a situação continuar no Norte da África e no Oriente Médio poderia acarretar consequências mais negativas.

"Ambas as nações estão muito preocupadas com esta situação, que está repleta com os mais graves distúrbios globais", disse o Ministro dos Negócios Estrangeiros russo, Sergei Lavrov, em uma coletiva de imprensa após uma reunião com seu homólogo chinês Yang Jiechi, na última sexta-feira.

Moscou e Pequim vão trabalhar juntos para evitar novas crises na região, disse Lavrov.

Ministro das relações exteriores Sergei Lavrov, após uma reunião com seu homólogo chinês Yang Jiechi. Foto: www.rferl.org

"Chegamos a um acordo para coordenar os nossos esforços com as possibilidades dos dois estados, a fim de ajudar a estabilizar ainda mais a situação e evitar a continuação das imprevisíveis conseqüências negativas", disse ele.


Fonte: http://www.globalresearch.ca/index.php?context=va&aid=24673

terça-feira, 10 de maio de 2011

Helicóptero secreto dos Estados Unidos foi descoberto após queda.

Acidente de helicóptero próximo ao local das operações dos Estados Unidos contra Osama.

Um helicóptero caiu perto da cidade de Abbottabad a noroeste do Paquistão, durante uma operação das forças especiais dos Estados Unidos que resultou na morte do chefe da Al Qaeda, Osama bin Laden, notícias canais de televisão paquistanês informou hoje em dia.

A explosão do helicóptero militar em chamas depois de colidir contra uma casa numa área perto da cidade de Bilal, perto de Abbottabad, a uma curta distância da Academia Militar do Paquistão, informou o canal.

Dois outros helicópteros participaram da operação durante a qual algumas pessoas foram mortas e vários cidadãos estrangeiros, incluindo mulheres e crianças, foram detidos, informaram os canais ao citar as fontes.

Não havia nenhuma palavra oficial sobre o desenvolvimento.

Vários canais de notícias transmitidas imagens granuladas de um helicóptero em chamas no gramado vazio do complexo perto de Abbottabad, cercado pelas forças de segurança.

Eles também emitiram a metragem da casa, situada entre os campos agrícolas, cercada por tropas paquistanesas, esta manhã (02 de maio de 2011).

O canal de televisão Khyber na língua Pashto informou que um helicóptero bombardeou uma casa depois de supostos militantes dispararem contra ele.

Os moradores locais disseram a mídia que tinham visto o helicóptero sobrevoando a área horas depois da operação.¹

Referindo-se à ação da caça a Bin Laden, um membro sigiloso da equipe da marinha norte-americana pode voltar para casa sem nenhum ruído, e com sucesso disparar sobre os alvos, a quem devemos todos os agradecimentos para a arma secreta, o helicóptero stealth.

Se você souber os detalhes dos militares dos E.U.A., é possível encontrar alguma notícia sobre o helicóptero secreto dos Estados Unidos, porque nunca foi exposto, e é o ultra-secreto das forças dos Estados Unidos. Então você sabe por que eles bombardearam o helicóptero inacabado? Isso porque eles não querem qualquer vazamento de informações a todos. O engraçado é que, você sabe que um helicóptero é enorme, assim, ainda há algo deixado para trás, como a foto que você viu acima, e algumas outras fotos da cauda do helicóptero.

Na verdade, de acordo com o que os especialistas militares observaram, embora não pudessem encontrar o seu modelo, mas a sua cauda era, obviamente, bem aperfeiçoada, o que é diferente da aeronave comum. Então temos que pensar nisso, se ele é o helicóptero secreto investigado ou não?

O ex-funcionário do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, que atualmente é diretor-adjunto do Instituto Lexington, Daniel Gul, disse que o "Black Hawk" que se espatifou é aquele que nunca tinha sido visto antes, e não apenas sua calda que já fora melhorada, mas o material de baixo ruído na lâmina, além de alguns outros materiais especiais de alta tecnologia sobre o corpo do avião.

Esse talvez seja um novo helicóptero. Talvez ele apareça na sua frente e você não irá detectá-lo, isso é importante para um helicóptero Stealth. Porque ele pode voar mais rápido e, em menor altitude, não pode ser ouvido quando está longe, mas pode chegar até você em breve, que é a parte tão significativa do seu sucesso.

Mas pensamos que talvez não seja o primeiro Black Hawk utilizado, talvez só não soubemos em público. Gul sugeriu: "Nos últimos cinco a seis anos, os militares podem tê-lo usado em centenas de missões deste tipo, é claro que eles foram bem sucedidos, pelo menos os helicópteros voltaram à segurança das bases militares."

Infelizmente, a aeronave foi bombardeada e caiu, mas obrigado por algumas fotos dele expostas, dessa forma soubemos o segredo finalmente.²

Fontes:
[1] http://www.business-standard.com/india/news/helicopter-crash-near-siteus-operations-against-osama/133637/on
[2] http://www.global-military.com/the-u-s-secret-stealth-helicopter-crash-have-been-exposed.html

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Rússia vai reforçar a sua frota do Mar Cáspio.

Fragata anti-submarino Tatarstan da frota russa do Mar Cáspio. Foto: ship.bsu.by

 A frota russa do Mar Cáspio vai receber 16 novos navios de guerra até 2020, disse o Comandante da Marinha russa, Vladimir Vysotsky. Também está prevista a implantação de sistemas de mísseis costeiros na área.

 Falando em uma sessão da Câmara Marítima do governo russo na quarta-feira, Vysotsky disse que a frota militar baseada no mar Cáspio será dotada de "pelo menos 16" novos navios até 2020, relatou a agência Interfax.

 Somente neste ano, a unidade receberá os mísseis para reforçar os navios "Tartaristão"e "Volgodonsk", assim como receberá outros três navios de assalto.

Divisão do Mar Cáspio e suas fronteiras marítimas.
mapa: www.talish.info

 Também está prevista a extensão do cais no porto da capital do Daguestão, Makhachkala. Desta forma, a frota será composta por duas unidades: uma baseada em Makhachkala e outra em Astrakhan - uma cidade portuária situada no delta do rio Volga.

 Além disso, a Marinha russa implantará novas unidades de mísseis costeiros e grupos de aviação nessa região estrategicamente importante e rica em petróleo do país.

 Vysotsky acrescentou que a frota do Cáspio até agora tem estado a trabalhar com êxito para garantir a segurança das empresas russas que operam na zona e vai continuar fazendo isso no futuro.

 O Mar Cáspio é extremamente rico em recursos naturais. Segundo estimativas, há cerca de 18 bilhões de toneladas de hidrocarbonetos contidos em seu leito, o que é comparável com os depósitos no Golfo Pérsico.

 Em abril do ano passado, a Rússia explorou o primeiro campo de petróleo no Mar Cáspio, o offshore Yu. Korchagin, dentro do território do país.

 O Mar Cáspio é também o lar de cerca de 80 por cento do esturjão do mundo, tendo as três variedades mais valiosas e raras de caviar - Beluga, Osetra e Sevruga.

 O mar é compartilhado entre cinco países: quatro ex-repúblicas soviéticas - Rússia, Cazaquistão, Azerbaijão e Turcomenistão - e Irã.


Fonte: http://rt.com/politics/caspian-fleet-missiles-warships/
Detalhes: http://www.warships.ru/Russia/Fighting_Ships/Anti_Submarine_Ships/1166_1.html

Distribuição da Marinha Russa pelos mares:


Frota do Mar Báltico
Base Principal: Baltiysk

5 Navios de guerra
20 Lanchas e lança-minas 
4 Barcos de desembarque
2 Aerodeslizadores de desembarque 
3 Submarinos diesel 

Frota do Norte
Base Principal: Severomorsk

10 Navios de guerra
11 Submarinos estratégicos 
17 Submarinos nucleares
8 Submarinos diesel
20 Lanchas e lança-minas
5 Barcos de desembarque
1 Porta-aviões Kuznetsov

Frota do Mar Negro
Base Principal: Sebástopol

4 Navios de guerra
16 Lanchas e lança-minas
7 Barcos de desembarque
2 Aerodeslizadores lançamísseis

Frota do Mar Cáspio
Base Principal: Astracán

2 Lanchas e barcos de artilharia
3 Lança-minas
2 Aerodeslizadores de desembarque 
4 Lanchas lançamísseis

Frota do Pacífico
Base Principal: Vladivostok

8 Navios de guerra
5 Navios de desembarque
19 Lanchas e lança-minas
5 Submarinos estratégicos
13 Submarinos nucleares
8 submarinos diesel

Fonte: Ria Novosti


Leia também:

quinta-feira, 5 de maio de 2011

As tropas sírias detêm 300 no subúrbio de Damasco.

Presidente sírio Bashar al-Assad, alvo dos protestos da população contra o governo. 
Foto: http://www.izmirgundem.net/
 As tropas sírias detiveram 300 pessoas em um subúrbio de Damasco na quinta-feira, mesmo depois de terem recuado a partir do hub de protestos em Dera'a após o bloqueio militar de mais de uma semana.

 Os ativistas, entretanto, juraram "um Dia do Desafio" para sexta-feira numa campanha contra o regime em que 607 pessoas foram mortas, segundo grupos de direitos humanos, enquanto outras 8.000 pessoas foram presas ou desapareceram.

 A varredura no subúrbio de Damasco Saqba veio, apesar dos apelos do chefe da ONU, Ban Ki-moon, dos Estados Unidos e da Itália, ao presidente sírio Bashar al-Assad para acabar com a repressão mortífera contra os manifestantes anti-regime.

 "Os agentes de serviço de segurança apoiados por tropas detiveram mais de 300 pessoas em Saqba, entre eles um número de clérigos," disse um ativista.

 Ele disse que pelo menos um dos presos foi baleado e ferido antes de ser levadopor forças de segurança.

 Tropas "derrubaram uma bandeira na praça principal, rebatizada Praça 'mártires', com as fotos dos mortos ligados a ela", disse o ativista, acrescentando que sete moradores de Saqba morreram desde que o movimento de protestos da Síria eclodiram em 15 de março.

Fonte: http://www.telegraph.co.uk/news/worldnews/middleeast/syria/8494491/Syrian-troops-arrest-300-in-Damascus-suburb.html

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology