Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Reveladas as armas nucleares implantadas pelos Estados Unidos na Europa.


 Mais documentos vazaram através do Wikileaks, que parecem confirmar, pela primeira vez, onde os E.U.A. tem implantado suas armas nucleares táticas na Europa. 

 Os documentos sugerem que a maioria das cerca de 200 bombas que ainda restam na Europa estão baseadas na Bélgica, Holanda, Alemanha e Turquia. 

 Enquanto a comunidade internacional está consciente de que os Estados Unidos tem ogivas restantes na Europa, as localizações das bombas nunca foram reveladas - até agora. 

 A nota, enviada de Berlim para o Secretário de Estado dos Estados Unidos, em novembro do ano passado, traz detalhes de uma conversa entre o Secretário de Estado Adjunto americano Philip Gordon e o conselheiro de política externa alemão Christoph Heusgen. 

 O documento diz: "Heusgen disse que a partir de sua perspectiva, não fazia sentido uma retirada unilateral 'das 20' armas nucleares táticas ainda na Alemanha, enquanto a Rússia mantém 'milhares' delas". 

 O governo alemão, particularmente o ministro das Relações Exteriores, Guido Westerwelle, se comprometeu a retirar todas as armas nucleares restantes da Alemanha. 

Possíveis conseqüências 

 O documento acrescenta que o Sr. Gordon, "observou que era importante pensar em todas as possíveis conseqüências" de retirar as armas da Alemanha - "por exemplo, a retirada das armas nucleares da Alemanha e, talvez, da Bélgica e dos Países Baixos podem tornar muito difícil politicamente para a Turquia manter seu estoque próprio, mesmo que ainda esteja convencido da necessidade de fazê-lo." 


 A OTAN condena a publicação das localizações das armas como "ilegais e perigosas", segundo o The Times. 

 As armas permanecem em locais estratégicos em toda a Europa, ali colocadas após a Segunda Guerra Mundial, para demonstrar o compromisso dos Estados Unidos com a OTAN durante a Guerra Fria. 

 Ministros da Europa apelaram recentemente para a sua remoção, dizendo que são armas obsoletas, especialmente à luz da Rússia aderindo o escudo antimíssil da OTAN, a cooperação mais próxima entre a OTAN e a Rússia desde antes da Guerra Fria.¹

 Após o conceito estratégico da OTAN e as expectativas de que a próxima rodada de negociações EUA-Rússia para o controle de armas nucleares será para lidar com as armas nucleares táticas sob qualquer formato de qualquer forma, Stan Norris e eu publicamos nossa última estimativa sobre as armas nucleares dos Estados Unidos na Europa, no Boletim do Cientistas Atômicos. 

 Embora o conceito estratégico afirme que "qualquer" nova redução “deve considerar a disparidade com os maiores estoques russos de armas nucleares de alcance limitado,” OTAN foi disposta de fato a fazer reduções unilaterais significantes esta década apesar da disparidade. Da mesma forma, os Estados Unidos tem sucateado a maioria de suas armas nucleares táticas, porque elas não são mais importantes. É importante que o argumento da disparidade não se torne uma desculpa para evitar novas reduções. 

 Nossa estimativa de armas nucleares táticas russas está aqui com mais detalhes aqui. 

 Mais tarde nesta primavera será publicado um relatório mais abrangente sobre as armas nucleares táticas dos Estados Unidos e da Rússia.²

[1]Fonte: http://www.channel4.com/news/wikileaks-us-nuclear-weapon-sites-in-europe-revealed

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology