Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

terça-feira, 29 de março de 2011

Armas americanas nas ex-repúblicas soviéticas para fazê-las atacar o Irã.

Stratfor_flightpath

 Os Estados Unidos tem a intenção de conter a Rússia e Irã na região do Mar Cáspio. Ao mesmo tempo, os Estados Unidos estão planejando ajudar o Azerbaijão, o Turcomenistão e o Cazaquistão a desenvolver as suas marinhas. Um relatório publicado em EurasiaNet disse que o governo dos Estados Unidos destaca a crescente importância da segurança do Mar Cáspio e a possibilidade da militarização do mar. "


 Os países acima mencionados estão planejando construir suas marinhas "mais ou menos a partir do zero", a despeito do fato de que o Azerbaijão, o Turcomenistão e o Cazaquistão tenham flotilhas impressionantes no Mar Cáspio, especialmente o Azerbaijão.

 Além disso, uma comparação das forças navais mostra que o país mais forte na região (com exceção da Rússia, é claro) é o Azerbaijão. Por exemplo, a Marinha do Azerbaijão é mais forte do que a do Irão.

 EurasiaNet diz que "é difícil dizer o quão sérias são os novos planos, mas não parece ser um esforço para construir a capacidade naval no Mar Cáspio."

 Jornalistas dos Estados Unidos dão alguns exemplos de como Washington vai desenvolver a sua cooperação técnica e militar na região. Primeiro, os americanos pretendem aumentar o poder da marinha do Azerbaijão, que é forte o suficiente. Além disso, "os Estados Unidos continuarão a trabalhar com a Marinha do Azerbaijão para aumentar a segurança marítima do Mar Cáspio, desenvolver a educação militar profissional, reforçar as capacidades de manutenção da paz, em apoio das operações de coalizão, e promover o progresso em direção à interoperabilidade da OTAN..."

 Assim, os americanos esperam obter o Azerbaijão envolvido na Aliança do Atlântico Norte para usar o país nos seus interesses.

 Quanto aos outros países Cáspios acima mencionados, os Estados Unidos não prestam muita atenção a eles. Os Estados Unidos não estão planejando nada que pudesse estar relacionado com a adesão do Turquemenistão à OTAN ou operações conjuntas de "pacificação".

 "A assistência dos Estados Unidos será usada para ajudar a estabelecer a capacidade naval incipiente do Turcomenistão para melhorar a segurança no Mar Cáspio. O FMF também será usado para reforçar a linha de base no país, capacidade de formação em Inglês para desenvolver oportunidades de participação ainda mais amplas.... Os programas de intercâmbio consolidados pelo IMET vão se concentrar na língua inglesa e na formação da administração da base naval ", diz o relatório.

 Quanto ao Cazaquistão, o Departamento de Estado pretende modernizar a aviação de combate da Marinha do país, particularmente a frota de helicópteros feitos nos Estados Unidos Huey II.

Projeto ocidental Nabucco-Ceyhan para fornecer gás do Irã (e do Azerbaijão) via Turquia e Bulgária transportando-o para a Europa Ocidental (assinalando um fim ao domínio russo).

 Por que os americanos precisam militarizar o Mar Cáspio? A região possui os recursos do petróleo e gás, que os Estados Unidos tem objeticado em primeiro lugar. Repórteres americanos reconhecem: "um ataque à infra-estrutura de petróleo ou gás natural no Mar Cáspio seria um golpe econômico para a economia mundial, apesar de pequeno." Parece que vai sobre o projeto Nabucco, que prevê a transferência de recursos do Mar Cáspio para o mercado ocidental em evitando passar pela Rússia.

 Repórteres americanos reconhecem que não é a primeira vez que os Estados Unidos tenta contribuir para o desenvolvimento das marinhas dos países acima mencionados. Washington já tinha vendido barcos de patrulha para eles no âmbito da Iniciativa Guarda do Cáspio. O atual estado de coisas é mais sério, como parece.

 Vamos supor que os americanos nunca irão recusar uma oportunidade de fazer um lucro adicional de vendas de armas. No entanto, três ex-repúblicas soviéticas (Azerbaijão, Cazaquistão e Turquemenistão) é para quem deseja flexionar os músculos militares?

Projeto de oleoduto do Cazaquistão para a China.

 De acordo com EurasiaNet, estes três países tornararam-se ricos com o dinheiro do petróleo. Eles querem proteger os seus investimentos e flexionar seus músculos também. "É uma verificação geopolítica óbvia sobre as duas grandes potências navais do mar Cáspio, Irã e Rússia, que têm vindo a construir as suas marinhas recentemente", diz a publicação.

 Konstantin Sivkov, um perito naval, disse ao Pravda.Ru que o Mar Cáspio, foi extremamente importante para os Estados Unidos.

 "Isto não se refere somente ao controle dos recursos energéticos locais. Os estados precisam da região para realizar planos agressivos contra a Rússia, a China e o Irã posteriormente. Os Estados Unidos construíram estreitos laços com a elite política do Azerbaijão. Os Estados Unidos está conduzindo a cooperação na defesa com este e outros países. Portanto, tem a oportunidade de exercer influência sobre as suas políticas.

 Se os Estados Unidos der todo o suprimentos para as marinhas dos países, será capaz de controlar seu poder militar. Se alguns deles não cumprirem com o Tio Sam, eles vão estar em apuros. Neste caso, os Estados Unidos facilmente desativaria os equipamentos fornecidos e os equipamentos militares dos países do Mar Cáspio vai se converter em lixo ", disse o especialista. Isso para não dizer que o presidente do Azerbaijão Aliyev se tornará um fantoche no jogo dos Estados Unidos contra a Rússia, como aconteceu com Saakashvili da Geórgia.

 No entanto, Washington pode usar o regime de Aliyev de forma semelhante ao cenário da Geórgia de 2008, ainda que contra o Irã. As relações entre Baku e Teerã têm sido bastante intensas nos últimos tempos, para dizer o mínimo. O Irã está extremamente preocupado com as atividades subversivas por parte dos serviços especiais Azeri no Azerbaijão iraniano. O Irã também está preocupado com os planos do Azerbaijão sobre os recursos naturais do Mar Cáspio.


Sergei Balmasov
Pravda.Ru

Fonte: www.pravda.ru/world/formerussr/other/17-03-2011/1070451-fleetkaspi-0/

Para saber mais: http://www.hinduonnet.com/fline/fl1904/19040630.htm

Leia também:

As riquezas do Irã em gás natural: EUA miram a principal energia do mundo futuro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology