Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

sexta-feira, 9 de julho de 2010

Aeroportos do Reino Unido, Alemanha e Emirados Árabes Unidos recusam-se a reabastecer o combustível dos aviões iranianos.

  "A partir na semana passada, após a aprovação de sanções unilaterais de Washington contra Teerã, os aeroportos do Reino Unido, Alemanha e Portugal recusam-se a reabastecer o combustível para aviões iranianos", disse o porta-voz da associação de companhias aéreas do Irã, Mehdi Aliyari, citado pela Agência de notícias iraniana ISNA. 

  O Conselho de segurança das Nações Unidas adotou, em 9 de Junho, uma nova resolução que reforça as sanções contra o Irã sobre a sua recusa em deter o enriquecimento de uranio. Esta já é a quarta resolução aprovada pelo Conselho, após o Irã se recusar em cumprir as exigências internacionais sobre seu programa nuclear. 

  Além disso, os Estados Unidos adotaram medidas unilaterais próprias contra a República Islâmica, afetando principalmente o setor de petróleo e gás do Irã, assim como empresas suspeitas pelas autoridades americanas de participar nos desenvolvimentos nucleares em Teerã.

 "Face a esta situação, o Irã será forçado a encher completamente os tanques de suas aeronaves ainda dentro do país ou construir depósitos de combustível em outros países", disse o porta-voz da associação da companhia aérea do Irã.

 A Iran Air fica assim impedida de usar os seus aviões Airbus A320 e Boeing B-727 e B-747, mas pode ainda usar 23 aviões para assegurar os voos para a UE.

 A União Europeia acrescentou ainda à sua lista negra, a companhia do Suriname Blue Wing Airline e as companhias indonésias Metro Bavia e Indonesia Air Ásia.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology