Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

segunda-feira, 14 de março de 2011

O Japão luta com a crise nuclear.

Usinas nucleares instaladas no Japão. (MAPA INTERATIVO)
Mapa cortesia de Argonne National Laboratory


(Reuters) - O Japão se esforçava para evitar um colapso em um reator nuclear atingido na segunda-feira depois que uma segunda explosão de hidrogênio abalou a instalação, apenas alguns dias após um devastador terremoto e do tsunami que matou pelo menos 10.000 pessoas. 

 Estradas e energia, ferroviárias e portos foram mutilados em grande parte do nordeste do Japão e as estimativas do custo das catástrofes múltiplas saltaram para até US$ 170 bilhões. Analistas disseram que a economia poderia mesmo inclinar de volta à recessão. 

 As ações japonesas fecharam mais de 6 por cento, a maior queda desde o auge da crise financeira mundial em 2008. 

 Equipes de resgate vasculharam a região agredida pela tsunami ao norte de Tóquio por causa dos sobreviventes e, esforçou-se para cuidar de milhões de pessoas sem energia elétrica e água numa situação que o primeiro-ministro Naoto Kan alarmou sendo a pior crise de seu país desde a Segunda Guerra Mundial. 

 Autoridades dizem que pelo menos 10.000 pessoas foram provavelmente mortas no terremoto de 8,9 graus na escala Richter e o tsunami que se seguiu. A agência de notícias Kyodo informou que 2.000 corpos foram encontrados nesta segunda-feira em duas cidades do litoral. 

 "É uma cena do inferno, absolutamente aterrorizante", disse Patrick Fuller, da Federação Internacional da Cruz Vermelha da cidade de Otsuchi. 

 "A situação aqui está verdadeiramente além do possível de se acreditar, quase tudo foi arrasado. O governo está dizendo que 9.500 pessoas, mais da metade da população, pode ter morrido e eu temo o pior." 

 Fundamentalmente, os oficiais disseram que as paredes espessas em torno dos núcleos radioativos dos reatores danificados na usina nuclear pareciam estar intactas após a explosão de hidrogênio, a segunda no local desde sábado. 

 O grande temor é o de um grande vazamento de radiação do complexo em Fukushima, 240 km (150 milhas) ao norte de Tóquio, onde os engenheiros têm lutado desde o fim de semana para evitar um colapso nos três reatores. 

 O núcleo do recipiente de número 3 do reator estava intacto depois da explosão, disse o governo, mas advertiu que aqueles ainda nos 20km (13 milhas) da zona de evacuação fiquem em casa. O operador de usina, da Tokyo Electric Power Co (TEPCO), disse que 11 pessoas ficaram feridas na explosão. 

 Segundo a Kyodo 80.000 pessoas haviam sido evacuadas da zona, que reúne mais de 450 mil desabrigados do terremoto e outras áreas atingidas pelo tsunami no nordeste. 

 "Tudo que vi diz que a estrutura de refreamento está funcionando como foi projetada para operar. Está mantendo a radiação e está segurando tudo, que é a boa notícia", disse Murray Jennex, da San Diego State University. 

 "Isso não é nada como um Chernobil... Em Chernobyl (na Ucrânia em 1986) que não tinha estrutura de contenção - quando explodiu, ele explodiu tudo em linha reta para a atmosfera." 

 Autoridades disseram no domingo que três reatores nucleares em Fukushima estavam em risco de superaquecimento, aumentando os temores de um vazamento de radiação descontrolada. 

 Engenheiros trabalham desesperadamente para resfriar as barras de combustível. Se eles falham, os recipientes que abrigam o núcleo poderia derreter, ou até mesmo explodir, liberando material radioativo na atmosfera.

Fonte: http://feeds.reuters.com/~r/reuters/worldNews/~3/tKwEEM46Le8/us-japan-quake-idUSTRE72A0SS20110314

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology