Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Especialistas chineses explicam por que a Índia e a Rússia desenvolvem em conjunto um caça de 5ª geração.

 Chang Hu, o editor de uma revista militar, e seu colega respondem à televisão chinesa sobre a cooperação Indo-russa na àrea da aviação militar.

 A Rússia anunciou suas prioridades para a exportação de armas onde a Índia é a principal prioridade. Atualmente, a Rússia e a Índia estão desenvolvendo em conjunto o avião caça de quinta geração (FGFA). Recentemente, a Força Aérea da Índia relatou os planos de comprar mais de 200 caças FGFA.

 Em 8 de outubro, a Força Aérea da Índia organizou uma exposição e vôos de demonstração na base perto de Nova Delhi para comemorar o aniversário de 79 anos da Força Aérea nacional. Foi anunciado que a Força Aérea iria comprar 214 FGFAs, dos quais 166 do modelo de assento único e 48 caças do modelo de assento duplo. Esses últimos serão fabricados pela Hindustan Aeronautics Ltda (HAL).

 Hu Chang, o editor de uma revista militar, e seu colega foram convidados para o estúdio da televisão CCTV chinesa. Eles responderam a inúmeras perguntas.

O que é o caça FGFA?

 Deve ser um caça desenvolvido em linha com os mais altos padrões mundiais. A base tecnológica da Índia é muito fraca, portanto, a Rússia faria a maior parte deste trabalho. A Rússia já desenvolveu um protótipo da aeronave (o projeto T-50), que está passando por testes de vôo.

 Então, por que não pode vender esses caças da Rússia para a Índia? Por que eles precisam deste desenvolvimento em conjunto?

 Na verdade, o T-50 ainda está em desenvolvimento. A Rússia mostrou o caça no show aéreo MAKS 2011. Ficou claro que o projeto da aeronave é "grosseiro" com um monte de emendas e articulações. A participação da Índia pode cobrir uma parte significativa do financiamento para este projeto. Atualmente, a Índia tem que fazer a escolha entre os dois caças europeus - Typhoon ou Rafale - para comprar 126 caças para a Força Aérea. Dada a difícil situação econômica na Europa, a Índia pode ter sucesso em "extorquir" tecnologias. Por exemplo, essas aeronaves têm aviônica muita boa e a Índia pode se tornar um "consolidador" das tecnologias européia e russa no projeto FGFA.

 De acordo com a Força Aérea da Índia, o país espera conseguir esse caça tão logo antes de 2017, ou seja, levaria apenas seis anos para desenvolvê-lo.

 Na verdade, toda a plataforma tecnológica da aeronave será desenvolvida na Rússia. No entanto, o T-50 é mais um demonstrador de tecnologia e vai demorar muito tempo para obter o verdadeiro caça. A Força Aérea da Rússia informou que esse caça seria adotado em 2015, o que é difícil de acreditar. Além disso, se a Força Aérea da Índia o recebe em 2017, em seguida, a Índia pode adotá-lo ainda mais rápido que a Força Aérea Russa. Provavelmente, a Índia será o segundo site de teste do T-50.

 Sabe-se que os E.U.A. não exportam o F-22, então por que a Rússia permite que outro país tenha acesso às últimas tecnologias?

 Acho que a primeira razão é que a Índia não representa uma ameaça para a Rússia. Em segundo lugar, o projeto desse avião ainda está longe do nível desejado. O T-50 tem o equipamento de bordo, mas muito ainda tem de ser criado, por exemplo, um barramento de dados digitais semelhante ao 1553B americano. A Rússia ficou para trás nessa área, mas a França pode compartilhar uma tecnologia semelhante com a Índia se o caça Rafale vencer o concurso.

Barramento de dados 1553B - aviônica de controle de caças americanos.

 Assim, a Índia pode consolidar as tecnologias militares francesas e russas no novo caça. A Índia tem uma maneira especial de pensamento militar - eles querem adquirir produtos já feitos sem se preocupar em desenvolver novos.

 Mas a Índia voltará a ser dependente de tecnologia estrangeira...

 Eu acho que a participação no desenvolvimento de aeronaves modernas seria útil para a Índia desde que o país desde que seja para adquirir experiência na concepção. O projeto FGFA é uma rara oportunidade para ganhar experiência neste campo.

 Assim, a Índia pode se tornar dona da tecnologia mais recente?

 Sim. Será um grande passo à frente. A Índia será um dos poucos países no mundo com o seu caça de quinta geração.

 Se tudo correr como o planejado, a Índia pode ultrapassar os E.U.A., no número de caças pesados de quinta geração?

Isso é verdade.

 Como é que esse fator afeta a situação na região Ásia-Pacífico?

 A Índia aprovou o 11o plano de cinco anos, durante o qual 214 caças de quinta geração devem ser adotados. De fato, tudo depende do financiamento da Força Aérea Indiana.

 Mas este período é muito curto para produzir tantos aviões.

Isso mesmo.

 Outra pergunta. Hoje, a Índia pode comprar sistemas militares de países ocidentais, incluindo os Estados Unidos. Mas armas russas ainda são responsáveis ​​por 70% do arsenal militar da Índia. Por que a Índia continua a preferir as armas russas?

 Primeiro, é por causa do barateamento relativo dos hardwares e equipamentos militares russos. Em segundo lugar, a Rússia está disposta a transferir tecnologia muito mais do que os países ocidentais. A Índia usa essa situação para diversificar as compras de armas, assim, alcança uma maior independência das fontes de armas. Por exemplo, a Índia compra os aviões de transporte C-130 e o C-17 dos Estados Unidos.

Fonte: 
http://indrus.in/articles/2011/10/18/chinese_experts_explain_why_india_and_russia_jointly_develop_fgfa_13132.html

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology