Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

quarta-feira, 28 de setembro de 2011

Irã não é capaz de atacar a Europa mas Washington insiste em 'não START' com Moscow.


Mapa mostra as forças nucleares estratégicas da Rússia e o alcance dos radares dos EUA e da Europa. Numa hipotética ameaça de mísseis do Irã, o radar russo de Gabala no Azerbaijão se anteciparia ao lançamento da defesa da Europa interceptando o míssil ameaçador antes de cruzar o Mar Negro, descartando assim o radar checo e os misseis na Polônia. foto: forum.utro.ru



 A Rússia exprime repetidamente a sua preocupação sobre o programa de defesa de míssil dos Estados Unidos na Europa. O jornalista Pepe Escobar, duvidando das capacidades do sistema, diz que Moscow tem todo o direito de estar incomodado.

 Escobar, um correspondente de Asia Times Online, declarou que o  acordo da defesa antimíssil recente (AMD) que os E.U.A. assinaram com a Romênia "não reinicializava a relação" com Moscou.

"Estamos finalmente de volta às mesmas políticas da guerra-fria".

 "Ninguém sabe se a defesa antimíssil funciona," disse ele a RT. "Esse é um multi-bilhonário, quase trilhonário, programa de dólares. É típico para manter a complexa corrida militar industrial."

 A história não se transformou nos últimos 10 anos - Washington ainda está tentando cercar a Rússia, reclamou Escobar. E as alegações da Rússia de que o escudo esteja apontado contra ela são absolutamente válidas, disse ele.

Alcance dos mísseis ainda em desenvolvimento no Irã.
 "Alguns dos melhores estrategistas militares no mundo estão na Rússia," diz Escobar. "Eles sabem que o Irã, em primeiro lugar, não tem capacidade de atacar a Europa, mesmo se eles quisessem. E, em segundo, eles podem ser um regime de linha muito difícil, mas eles não são suicidas. Portanto esta desculpa contra Ahmadinejad é ridícula."

 O potencial de uma corrida armamentista depende da reação da Rússia em relação a Washington, predisse ele. Os testes de AMD não foram prósperos por enquanto, portanto não se espera que algo realmente perigoso de Moscow emerja do sistema durante pelo menos sete anos, ele concluiu.

 A recente ponta de lança na atividade destaca o compromisso de Washington de não só continuar com o projeto do escudo de defesa de míssil europeu, mas também estender e reforçá-lo, apesar da indicação de que há dois anos os EUA quis abandonar o esquema. É a visão de Rick Rozoff, um especialista em assuntos internacionais do movimento "Stop NATO".

Alcance dos mísseis do Irã (Sharab-3), da Coréia do Norte (Taepodong-1 e 2, se concluído) e
da Rússia o ICBM SS-18 Satan.
  Rozoff acrescenta que as reclamações americanas de uma ameaça oriunda da Coréia do Norte ou do Irã são puramente fictícias.

 "O que estamos falando é sobre um salto potencial do sistema de primeiro ataque," diz o especialista. "Isto significa que no caso de os E.U.A. ou os seus aliados da OTAN lançarem o que eles descreveriam como um ataque 'de preempção' - mas na verdade uma primeiro ataque - contra uma nação como a Rússia, o sistema de defesa de míssil criado trabalhará para assegurar que qualquer míssil sobrevivendo a este ataque 'de preempção' não ofereça ameaça à retaliação," ele explica.

 "Isso não é defesa," conclui Rick Rozoff, pensando que do ponto de vista geográfico, o posicionamento dos foguetes não faz sentido visto que eles não interceptarão efetivamente ameaças de Pyongyang ou de Teerã.

Fonte: http://tv.globalresearch.ca/2011/09/amd-un-resets-washingtons-relations-moscow

Leia também:

Rússia prepara-se para os piores cenários possíveis no desfecho do mundo.
Projeto Anaconda visa cercar a Rússia com mísseis da OTAN.
China e aliados apoiam a Rússia contra o escudo anti-mísseis global de EUA-OTAN.
Rússia e OTAN já vigiam espaço aéreo mas seguem em desacordo com o escudo anti-mísseis.
Apesar do tratado START Estados Unidos segue com seus planos de mísseis.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology