Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

segunda-feira, 9 de janeiro de 2012

Os EUA e Israel irão lançar um “desafio severo” ao Irã.


 Israel e os EUA irão promover proximamente no Próximo Oriente as manobras Desafio Severo – 12. O programa de manobras inclui a interação na esfera de defesa antimíssil e defesa antiaérea e a elevação da coordenação das ações das forças armadas israelitas e americanas.

 Destas manobras, - as maiores na história da colaboração militar entre os dois países, - irão participar milhares de militares dos exércitos dos EUA e de Israel, dezenas de navios de guerra e a aviação embarcada.


 Os dois países realizaram pela última vez manobras militares de tamanha envergadura há três anos.  Naquele caso Teerã qualificou as manobras como uma pressão sem precedentes sobre o Irã.

 Agora o Ministério da defesa dos EUA assevera que as atuais manobras foram planejadas de há muito e não representam resposta a manobras “Velaiat-90”, que o Irã promovia no estreito de Ormuz até o dia 4 de janeiro. No entanto, em fins de dezembro informava-se que manobras seriam realizadas na primavera. Os peritos supõem que a transferência urgente dos prazos da sua realização está relacionada ao teste bem-sucedido de dois mísseis alados “Gader”, classe “terra – água”, desenvolvidos no Irã. Estes mísseis são capazes de atingir alvos à distância de até 200 quilômetros.

 Além disso, o chefe do Pentágono Leon Panetta prometeu recorrer a todos os meios a fim de impedir o Irão de criar armas nucleares. Outros fatores que contribuem para intensificar a tensão na região é a crise política na Síria  e as recentes ameaças do Irão de barrar o estreito de Ormuz, o que é inadmissível para os EUA. No caso de um conflito militar entre os EUA e Israel, por um lado, e o Irã, por outro, a guerra pode abranger toda a região, - afirma Liudmila Kulaguina, perita do Instituto de Estudos Orientais junto da Academia de Ciências da Rússia.

 Certamente, os países da região estão contra quaisquer ações militares nesta zona, pois compreendem que mesmo um ataque aéreo contra o território do Irão irá provocar golpes de resposta por parte do Irão contra vários países vizinhos. A guerra irá abranger certamente toda a região. É o evento mais perigoso que pode ocorrer no Próximo Oriente. Por que? É que o Próximo Oriente é uma grande região petrolífera, em que se encontram os aliados mais próximos dos EUA, incluindo a Arábia Saudita.

 Todavia Teerã já anunciou que pretende realizar em fevereiro mais uma série de manobras no estreito de Ormuz e no golfo Pérsico.

Fonte: Voz da Rússia. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology