Fuso-horário internacional

Translate

English French German Spain Italian Dutch Russian Portuguese Japanese Korean Arabic Chinese Simplified

PÁGINAS

Voltar para a Primeira Página Ir para a Página Estatística Ir para a Página Geográfica Ir para a Página Geopolítica Ir para a Página Histórica Ir para a Página Militar

sexta-feira, 3 de junho de 2011

Míssil Bulavá será lançado em junho pelo submarino “Yuri Dolgoruki”.


 O Ministério da Defesa russo anunciou hoje que o mais recente lançamento de teste do míssil naval Bulavá – o primeiro teste deste ano e o 15º desde que se iniciaram a série de provas – ocorrerá em junho e será efetuado a primera vez a partir do submarino nuclear “Yuri Dolgoruki”, portador oficial deste moderno projétil balístico.

 “É previsto o lançamento do míssil naval Bulavá a partir do submarino lançador estratégico de propulsão nuclear “Yuri Dolgoruki”, declarou o coronel Ígor Konashénkov, porta-voz da Defesa.

 Dos 14 lançamentos anteriores, sete foram um êxito. O último ocorreu em 29 de outubro de 2010, quando as ogivas de um míssil Bulavá lançado pelo submarino estratégico “Dmitri Donskoi”, no mar Blanco, derrubaram os alvos previstos no polígono de Kurá, no extremo oriente da Rússia.

 Konashénkov confirmou o plano da Defesa de efetuar até o final do ano um total de cinco lançamentos do Bulavá, todos eles, desde o mar Blanco até ao polígono de Kurá na península de Kamchatka.

 Tambén lembrou que “a Armada poderia incluir os mísseis Bulavá no arsenal a finais de 2011 ou a princípios de 2012, sempre e quando os ensaios tenham resultados positivos”.

 Os testes seguintes terão efeito sob controle de uma comissão oficial cujos membros presenciarão os lançamentos a bordo do submarino.

O submarino “Yuri Dolgoruki”, portador do míssil Bulavá, realiza o lançamento do
míssil sem a  necessidade de parar.

 O míssil balístico intercontinental R30 3M30 Bulavá-30 (RSM-56, em tratados internacionais e SS-NX-30, segundo classificação da OTAN) é um foguete de três etapas implantado em submarinos.

 O míssil é lançado a partir de um túnel inclinado, o que permite o lançamento com o submarino em movimento, ou seja, o lançamento ocorre com o submarino em curso sem a necessidade de parar durante a expulsão do foguete. O míssil Bulavá alcança uma distância de 8.000 km e pode portar de 8 a 10 ogivas nucleares hipersônicas autônomas, de 100 a 150 kilotons cada uma com capacidades de modificar a trajetória do vôo¹.

O criador do Bulavá.

 Os Estados Unidos é incapaz de abater mísseis balísticos movendo-se a 10 quilômetros por segundo, informou Yuri Solomónov, desenhista chefe do Instituto de Termotécnica de Moscow e criador do novíssimo foguete naval russo Bulavá.

 Os modernos mísseis balísticos alcançam velocidades que para derrubá-los " é tecnicamente inviável", disse Solomonov em uma apresentação antes dos repórteres. Disse que as ogivas são cercadas por dezenas de falsos chamarizes "impossíveis de identificar."

 No final de janeiro passado, Solomónov revelou que a Rússia criou ogivas nucleares de tipo balístico que se integram com meios individuais de separação e são capazes de burlar qualquer sistema de defesa anti-míssil².

Fontes:


[1] http://sp.rian.ru/Defensa/20110602/149232517.html

[2] http://sp.rian.ru/Defensa/20110317/148537125.html
 
Leia também:


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Últimas postagens

posts relacionados (em teste)

Resumo

Uma parceria estratégica entre França e Rússia tra ria benefícios econômicos para a Europa?

SPACE.com

NASA Earth Observatory Natural Hazards

NASA Earth Observatory Image of the Day

ESA Science & Technology